文章

葡萄牙文

Luzes Antropológicas ao Obscurantismo. Revista Rau UFSCAR. 2017.

[Book Review] Escola de Lutas. Revista Ponto e Vírgula. 2016.

Pirataria e Informalidade na China e no Brasil: aproximações e tensões em suas estratégias de desenvolvimento. In: Vera Telles; Angelina Peralva. (Org.). Ilegalismos na Globalização: Trabalho, migrações, mercados. Colóquio Cerisy La-Salle, França. Rio de Janeiro: Editora da UFRJ, p. 239-260. 2015.

Monalisa Made in Dafen: Copies and Intellectual Property Rights in China. Revista Proa, 2012, N.2. 2012.

A Diáspora Chinesa na Fronteira Brasil/Paraguai: Fluxos Globais e Dinâmicas Locais de um Processo Migratório em Transformação (Chinese diaspora on the border Brazil-Paraguay: global flows and local dynamics). In: Paulo Eduardo Teixeira; Antonio Mendes da Costa Braga; Rosana Baeninger. (Eds.). Migrações: implicações passadas, presentes e futuras. Marília: Unesp, p. 257-278. 2012.

Ways of Smuggling. A Fiscalização da Ponte da Amizade e seus efeitos na Tríplice Fronteira. In: Lorenzo Macagno; Verónica Giménez Béliveau; Silvia Montenegro.. (Org.). A Tríplice Fronteira Espaços Nacionais e Dinâmicas Locais. Curitiba: Editora da UFPR, p. 35-52, 2011.

Japan Through China: A Presença simulada da cultura japonesa no comércio popular brasileiro. In: Antônio Motta. (Ed.). O Japão não é longe daqui. Interculturalidades, consumo e estilos de vida. Recife: Editora Universitária da UFPE; Tóquio: Japan Foundation, p. 197-208, 2011.

**Making Guanxi: gifts, etiquettes and emotions in the economy of post-Mao China. Revista Mana of National Museum, vol.17, n. 1, 2011.

**The meanings of fake and real things: rethinking low income consumption in Brazil Revista de Antropologia (USP. Impresso), v. 53, p. 321-364. 2010.

**One or two countries? The “Taiwan wenti” from the point of view of an overseas Chinese community (Ciudad del Este, Paraguay). Civitas: Revista de Ciências Sociais. v. 10, p. 468-489. 2010.

Treating things as social facts. Revista Mediações (UEL), v. 5, p. 231-247. 2010.

Re-learning to be Chinese: civilizing process of a country in a time of change. Educação (UFSM), n. 34, pp.113-128. 2009.

 **China-Paraguay-Brazil: a route to discuss the informal economy. Brazilian Review of Social Sciences.  São Paulo. n. 67, pp. 117-133. 2008.

Factories of dreams in sweatshops: Dilemmas of equality in the post-Mao China. In. Lima, Kant (ed). Antropologia e Direitos Humanos 5, Booklink e ABA. 2008.

Everybody is our family!: Kinship among street vendors in local and translocal contexts. In Anthropológicas Review. 2006.

** Journals classified as A1 (top journals in Brazil’s ranking)