Rosana Pinheiro-Machado

Cientista social e antropóloga
Pesquisa economia informal, pobreza e desenvolvimento no Brasil e China.
Escreve textos de opinião sobre a conjuntura social e política nacional.

Rosana Pinheiro-Machado é cientista social e antropóloga. Atualmente é Professora do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), pesquisadora do Australian Research Council no projeto New Consumer Cultures in the Global South e colunista do Intercept Brasil.

Tem larga experiência profissional internacional. Já atuou como professora da Pós-Graduação em Desenvolvimento Internacional na Universidade de Oxford (2013-2016) e Visiting Scholar do Centro de Estudos Chineses da Universidade de Harvard (2012-2013), por onde também concluiu seu pós-doutoramento. É Fellow vitalícia da British Higher Education Academy. Durante o doutorado, foi agraciada com a prestigiosa bolsa da fundação Wenner-Gren (EUA) e também realizou período sanduíche de um ano na University College London (UCL).

Realizou toda sua formação educacional, desde os quatro anos de idade, no ensino público. Estudou na Escola Estadual Rio Branco em Porto Alegre e seguiu na graduação e pós-graduação na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Toda a sua trajetória de estudante foi marcada pelo recebimento de numerosas distinções. Sua tese de doutorado, por exemplo, baseada em dez anos de pesquisa de campo, acompanhou uma cadeia global de mercadorias (i)legais na rota China-Paraguai-Brasil, sendo  agraciada com os principais prêmios da área no País: ANPOCS, ABA/FORD E CAPES, incluindo o "Grande Prêmio CAPES de Tese - Ruth Cardoso".

Hoje, Rosana é considerada uma das pioneiras na produção de trabalho de campo na China e uma referência na Sinologia do Brasil.

Dedica-se aos temas desenvolvimento internacional, como foco nos tópicos de propriedade intelectual, pirataria e informalidade; transnacionalismo, produção, consumo e mercado; pobreza, conservadorismo e política. Também ensina e orienta pesquisas sobre os novíssimos movimentos sociais do século XXI.

Autora de diversos livros, entre eles Counterfeit Itineraries in the Global South (Routledge, 2017), Made in China (Hucitec, 2011) e China, passado e presente (Artes e Ofícios, 2013). Possui dezenas de artigos em periódicos e capítulos de livros internacionais (inglês, espanhol, francês e chinês). Palestra com frequência no exterior, especialmente na América Latina, nos Estados Unidos, na Europa e na Ásia.

Como intelectual pública, suas colunas não viralizaram diversas vezes e também pautaram debate nacional e internacional, como ocorreu na época dos rolezinhos, da greve dos caminhoneiros e da eleição de Jair Bolsonaro. Seu texto, por exemplo, “Precisamos falar sobre vaidade acadêmica” foi lido por milhões de pessoas, é um dos mais acessados da história da CartaCapital e já é hoje um marco na luta contra a opressão universitária.

Rosana é uma acadêmica feminista e luta por um ensino superior livre de abusos, mais justo, horizontal e inclusivo. Mantém uma vida intensa fora da Academia: publica textos de opinião em jornais e revistas, escreve frequentemente nas redes sociais e desenvolve projetos sociais nas periferias, como por exemplo a fundação na Escola Comum, que visa a desenvolver capital humano entre jovens de baixa renda.

Image